15 jun 2020
A importância da Biossegurança para a retomada gradual da mobilidade coletiva

Em meio ao cenário trazido pela pandemia do novo coronavírus, as empresas precisam enfrentar desafios causados pela paralisação ou diminuição de atividades, e pela baixa na procura por produtos e serviços. Contudo, isso não significa que é o momento das empresas pararem de inovar e investir. É o momento, inclusive, de redirecionar a inovação e o investimento para auxiliar no combate à pandemia.

As startups podem ser aliadas nessa luta. Elas estão diretamente relacionadas com a inovação e, portanto, com a tecnologia. Um exemplo de campo a ser explorado em meio ao cenário que vivemos é a biotecnologia, ou, mais especificamente, a tecnologia em biossegurança. Ela tem a finalidade de controlar os riscos provocados pelo uso de agentes químicos, físicos e biológicos. Afinal, trabalhos realizados com microrganismos que possam afetar de alguma forma o meio ambiente necessitam de cuidados extremos.

Focada na retomada gradual da mobilidade urbana e intermunicipal, a empresa Marcopolo, uma das maiores fabricantes de carrocerias de ônibus do mundo, está investindo, por exemplo, em tecnologia para tornar os ônibus mais seguros contra o coronavírus.

Por meio da Marcopolo Next, divisão da empresa focada em inovação, a companhia lançou, no início de abril, desafios de Biossegurança Onboard, buscando startups e tecnologias especializadas em biossegurança para tornar o transporte coletivo mais seguro a contaminações virais.

A iniciativa coloca a Marcopolo ao lado das empresas operadoras de transporte e busca formas de auxiliar os clientes a seguir com suas operações, além de proteger a sociedade da pandemia da COVID-19 e de outros agentes biológicos nocivos à saúde e a segurança dos passageiros e motoristas.

A seleção dos projetos é conduzida por um grupo técnico multidisciplinar de infectologistas, engenheiros e especialistas da Marcopolo e segue critérios como adequação a aplicação em ônibus e o nível de maturidade da solução.

Com foco na oferta de pacotes embarcados de biossegurança ou disponíveis em formato de serviços, mais de 20 soluções apresentadas foram escolhidas e, entre essas, algumas já estão em processo de aprovação de conceito junto a operadores e clientes.

Confira os segmentos que conduzem a escolha das soluções:

Higienização: soluções de biossegurança, higienização e esterilização que tornam o interior do ônibus, assim como o bagageiro, menos propensos à disseminação do vírus durante as viagens.

Sistemas de isolamento e triagem: com o objetivo de promover viagens mais seguras e confortáveis, esses sistemas permitem restringir contato entre passageiros e também com os motoristas. Enquadram-se nesse tema soluções que identifiquem passageiros com sintomas, como medição de temperatura.

Nanotecnologia e materiais: novas formas de facilitar a higiene e esterilização do ambiente interno do ônibus.

Sistemas de informações/comunicação: formas de orientar passageiros, motoristas, mecânicos, zeladores, etc., sobre boas práticas na higienização do veículo, bagagens e demais produtos ofertados na viagem.

Portanto, mesmo em meio aos inúmeros desafios trazidos pela crise e que precisam ser enfrentados pelas empresas, é possível impulsionar seu negócio e continuar investindo. A biotecnologia e a tecnologia em biossegurança são grandes áreas de investimento no momento, porque elas se fazem necessárias para manter a segurança de todos. Ao seguir investindo, a empresa continua crescendo e também auxilia na retomada gradual da mobilidade coletiva com segurança para a comunidade.

COMPARTILHAR

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

RECEBA NOSSAS

NOVIDADES

A Marcopolo segue as leis de LGPD. Veja nossa política

Coordenação Geral

Departamento de Marketing

marketing@marcopolo.com.br

Produção e edição de textos

Secco Consultoria de Comunicação

Sabrina Leme MTB-RS 15062

Projeto Gráfico

Vinicius Pauletti