05 nov 2020
Como o BNDES Pilotos IoT contribuirá para a mobilidade urbana no Brasil?
Cansado de ler? Então ouça este artigo:

Programa visa trazer soluções tecnológicas para três áreas: Cidades, Saúde e Rural

 

O programa BNDES Pilotos IoT tem como objetivo selecionar e apoiar projetos-piloto de soluções tecnológicas focadas em Internet das Coisas (IoT). Três ambientes são priorizados: Cidades, Saúde e Rural. A participação do BNDES com recursos não reembolsáveis pode chegar a 50% dos itens financiáveis e o valor mínimo do apoio do Banco a cada plano de projeto-piloto é de R$ 1 milhão.

 

A iniciativa é um desdobramento do estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil”, apoiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

 

Mas o que é IoT e o que são projetos-piloto?

Em resumo, Internet of Things (IoT) significa Internet das Coisas e é um nome dado mundialmente para temas que envolvem a conexão via internet entre dispositivos cotidianos, como eletrodomésticos, eletroeletrônicos e máquinas industriais.

 

A diversidade de projetos de Internet das Coisas requer o desenvolvimento de inúmeras tecnologias para aplicação, abrangendo desde o componente semicondutor, passando por um chip (que transmite esse dado), até um servidor que trata a informação, transformando-a em conhecimento e agregando-lhe valor. Nesse contexto, a IoT é impulsionada por tecnologias habilitadoras, cuja arquitetura é organizada em camadas, formando uma rede globalmente acessível de coisas, provedores e consumidores.

 

Segundo a arquitetura de IoT definida pela Organização das Nações Unidas (ONU), as soluções de IoT têm como base quatro camadas, o que inclui tecnologias de: dispositivos; rede; suporte a serviços e aplicações; e segurança da informação. A integração dessas quatro camadas é o principal desafio para que aplicações conceitualmente viáveis cheguem ao mercado, consolidando o processo de inovação.

 

Um projeto-piloto consiste em um ou mais casos de uso que serão testados em plataformas de experimentação e/ou diretamente em ambientes reais de uso, como cidades, unidades de saúde ou propriedades rurais. A execução ocorre por meio de testes em escala real e ambiente controlado, com ênfase em sistemas abertos e engajamento de um conjunto amplo de usuários.

 

A execução dos projetos-piloto do BNDES IoT deve incluir duas iniciativas principais:

* Integração de tecnologias;

* Avaliação técnica do impacto.

 

Quais são os impactos esperados do programa?

O plano nacional de IoT BNDES conta com expectativas específicas dentro de cada um dos ambientes que são foco do programa: Cidades, Saúde e Rural. Confira abaixo:

 

* CIDADES

Mobilidade:

Reduzir tempos de deslocamento, considerando diferentes modalidades de veículos, e aumentar a atratividade dos transportes públicos.

Segurança pública:

Aumentar a capacidade de vigilância e monitoramento de áreas da cidade para mitigar situações de risco à segurança.

Eficiência energética e saneamento:

Reduzir desperdício de utilities e criar rede de iluminação pública que habilite soluções de IoT de forma ampla na cidade.

 

* SAÚDE

Doenças crônicas:

Melhorar a efetividade dos tratamentos de pacientes, tanto remotos quanto em unidades de saúde; estudar o custo-efetividade de resultados clínicos utilizando a solução IoT e o método tradicional.

Promoção e prevenção:

Diagnóstico descentralizado realizado no local do atendimento: análise comparativa de eficiência clínica e econômica entre o diagnóstico utilizando a solução IoT e o método tradicional.

Eficiência de gestão:

Monitoramento de ativos, insumos e recursos em unidades de saúde: avaliação e custo benefício do uso das soluções IoT.

 

* RURAL

Uso eficiente de recursos naturais e insumos:

Ênfase no monitoramento meteorológico e do solo, a fim de promover o aumento de produtividade bem como a redução de custos.

Uso eficiente de maquinário:

Ênfase em gestão do desempenho de máquinas, com o objetivo de otimizar o emprego de equipamentos.

Segurança sanitária e bem-estar do animal:

Ênfase em monitoramento de saúde, peso, comportamento, alimentação e localização de animais, além de gestão de pragas, com o intuito de aumentar o volume de informações e sua precisão no monitoramento de ativos biológicos.

 

Qual a importância do BNDES contar com uma iniciativa como o Pilotos IoT?

Para o Mario Antonio Da Silva Carneiro, Especialista de Engenharia da Marcopolo, a principal importância da iniciativa é fomentar o desenvolvimento de soluções em IoT direcionadas às áreas de interesse ligadas a atividades importantes. “Os projetos têm foco em pilares de sustentação da sociedade, como os meios urbanos e rurais, além da saúde, e isso demonstra a preocupação da instituição com o desenvolvimento tecnológico, o que leva a soluções genuinamente nacionais e competitivas voltadas às soluções dos problemas locais”, destaca.

 

O impacto na mobilidade urbana

A iniciativa do BNDES, avalia Carneiro, também deve contribuir significativamente para a mobilidade urbana. “Os projetos bem-sucedidos de mobilidade devem proporcionar uma melhora substancial conjunta dos modais de transporte, que não devem se calcar em apenas um modelo. Deve-se perseguir o uso inteligente dos equipamentos e estrutura urbanas existentes em todas as modalidades de transporte, em qualquer etapa do ciclo, do primeiro ao último quilômetro do deslocamento, seja de pessoas ou de cargas. A integração e a otimização com a aplicação de IoT visa a redução de custo, de emissões e de tempo destes deslocamentos. Tornar mais atrativo o transporte coletivo trará um ganho significativo para toda a sociedade”, avalia.

 

Expectativas do segmento de ônibus em relação ao programa são positivas

Lançado em junho de 2018, o programa já passou por várias fases, gerando uma espécie de edital do BNDES IoT. São elas: recebimento de propostas, resultado da pré-seleção, enquadramento de operações no BNDES, análise detalhada de projetos, aprovação e contratação de projetos, e atualmente liberação de recursos e acompanhamento de projetos.

 

Dentro do segmento de ônibus, as expectativas para as ações aprovadas são positivas, relata o engenheiro especialista da Marcopolo. “Iniciativas que visem a maior fluidez e uso inteligente da estrutura urbana, bem como aumentem a segurança no transporte, de alguma forma contribuem com a eficiência da mobilidade. Alguns dos projetos já selecionados, como o do Instituto Atlântico e LSI-TEC, ainda que não sejam direcionados especificamente ao transporte por ônibus, devem contribuir com efeitos positivos no segmento”, antecipa.

COMPARTILHAR

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

RECEBA NOSSAS

NOVIDADES

A Marcopolo segue as leis de LGPD. Veja nossa política

Coordenação Geral

Departamento de Marketing

marketing@marcopolo.com.br

Produção e edição de textos

Secco Consultoria de Comunicação

Sabrina Leme MTB-RS 15062

Projeto Gráfico

Vinicius Pauletti